SEM AMOR, NÃO HÁ NADA; NEM SEQUER HÁ FÉ


A ligação entre o amor a Deus e o amor ao próximo é tão estreita que São Gregório Magno entreviu aqui uma razão simbólica para Jesus mandar os discípulos em missão dois a dois. Mandou-os dois a dois porque «dois são os mandamentos, a saber, o amor a Deus e o amor ao próximo». No amor está tudo: está a Lei e estão os Profetas (cf. Mt 22, 40), isto é, está toda a Sagrada Escritura.

Por aqui se vê como Jesus vai muito mais além da pergunta que Lhe tinha sido feita. Ele deixa bem claro que é toda a Bíblia que está perfumada pelo amor: pelo amor a Deus e pelo amor ao próximo. A qualidade do nosso amor a Deus mede-se pela intensidade do nosso amor ao próximo. Se não há amor, não há nada, nem sequer há fé.

É por isso que quem mais sabe a Lei não é quem mais a conhece, mas quem melhor a vive. É preciso viver o amor a partir da nascente, a partir de Deus. E Deus tem um amor de predileção pelos mais necessitados. É quando nos damos a eles que mais nos damos a Ele, a Deus.

Afinal e como garante Jesus, «há mais alegria em dar do que em receber» (At 20, 35). Até porque quando damos, somos presenteados com a alegria de quem recebe. Nunca recebemos tanto como quando damos tudo. Nunca recebemos tanto como quando nos damos totalmente!

Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

SEM AMOR, NÃO HÁ NADA; NEM SEQUER HÁ FÉ  SEM AMOR, NÃO HÁ NADA; NEM SEQUER HÁ FÉ Reviewed by Francisco Nascimento on 01:49 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.