SANTOS SÃO MUITOS, SANTOS DEVERÍAMOS SER TODOS


Hoje é dia de louvar Todos os Santos. E, nessa medida, hoje também é dia de recordar que todos somos chamados a ser santos. Para tal, basta não esquecer que somos filhos de um Deus santo (cf. Lev 19, 2) e membros de uma Igreja santa (cf. Ef 5, 27). Era por isso que, nos começos, os membros da Igreja eram conhecidos como «santos» (At 9, 32). Tem lógica: se a Igreja é santa, os que dela fazem parte devem ser santos.

Sabemos, porém, que nem sempre isso acontece. Estamos num tempo em que se fala muito dos pecados na Igreja. Só que nem os pecados na Igreja obscurecem a santidade da Igreja. A Igreja é um corpo que é santo na sua cabeça (Jesus Cristo) e pecador nos seus membros.

Como é que o Corpo de Cristo pode estar forrado com uma «massa tão grosseira», que somos nós? Sucede o nosso pecado é impotente para impedir que Jesus Cristo faça fluir a Sua santidade. E, apesar de tudo, são muitos os membros que têm deixado fluir a santidade da Cabeça. São esses membros que celebramos neste dia e honramos nesta festa,

Efetivamente, são muitos os santos. Mas deviam ser ainda mais. Afinal, santos deveríamos ser todos. É que, embora a resposta à santidade não venha de todos, a proposta de santidade chega sempre a todos.

Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

SANTOS SÃO MUITOS, SANTOS DEVERÍAMOS SER TODOS SANTOS SÃO MUITOS, SANTOS DEVERÍAMOS SER TODOS Reviewed by Francisco Nascimento on 11:10 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.