Homilia: XXVIII Domingo do Tempo Comum - Ano B

São Clemente de Alexandria
Livro sobre a salvação dos ricos
Se queres ser perfeito

Estas palavras pertencem ao Evangelho de Marcos, mas exatamente a mesma ideia aparece nos demais sinóticos onde, com palavras às vezes um tanto diferentes, recolhe-se idêntica doutrina. E devemos estar plenamente convencidos de que o Salvador nunca se expressou de forma puramente humana, mas que o seu ensinamento sempre esteve informado por uma divina e mística sabedoria; de que não devemos escutar suas palavras carnalmente, mas devemos indagar e aprofundar o sentido nelas oculto mediante uma adequada investigação e colocando em jogo todo o empenho e perspicácia de nossa inteligência.
Se queres ser perfeito: Portanto, ainda não era perfeito, já que não existe nada mais perfeito que o perfeito. Ademais, aquele se queres expressa de maneira divina e contundente a livre faculdade de escolha de seu colocutor. Efetivamente, no homem – em sua qualidade de ser livre – reside a livre escolha da vontade; em Deus – em sua qualidade de Senhor e juiz – reside a capacidade de dar. E dá aos que querem e rezam e com maior empenho se esforçam por alcançar a própria salvação. Pois Deus não coage – a coação é, de fato, inimiga de Deus -, mas dá aos que buscam, concede aos que pedem, abre aos que chamam. Por conseguinte, se queres, se verdadeiramente queres e não te enganas a ti mesmo, procura o que te falta.
Uma coisa te falta: o que te resta por fazer e que é bom, mas já à margem da lei, que a lei não o dá, que não se encaixa dentro da lei, é próprio dos possuidores da verdadeira vida. Em uma palavra, aquele que tinha cumprido toda a lei desde a infância, e que disse de si coisas tão grandes e soberbas, com todas elas não pode adquirir essa única coisa que é exclusiva do Salvador, para arrebatar a vida eterna, cujo desejo lhe tinha movido a dar aquele passo. Retirou-se triste, oprimido pelas exigências de uma vida a respeito da qual tinha vindo para suplicar ao Mestre. Na realidade, não ambicionava de verdade a vida, como parecia deduzir-se de suas palavras; o que somente buscava era adquirir reputação de boa vontade: certamente podia se esforçar por fazer muitas coisas, porém era incapaz de fazer aquela única coisa, aquela obra de salvação que devia guiá-lo para a perfeição. Para esta obra era fraco e indiferente.
O mesmo que o Senhor disse para Marta quando, cansada em muitas tarefas, andava inquieta e nervosa para dar conta do serviço, e censurava de negligente a sua irmã, que, deixando o serviço, sentada aos pés do Senhor, oferecia a atenção de uma discípula: Andas inquieta com tantas coisas; Maria escolheu a melhor parte, e não lhe será tirada; assim também a este (discípulo): manda-lhe que, pondo à parte toda enervante ocupação, centralize-se em uma só coisa e se sente aos pés da graça daquele que pessoalmente lhe propõe a vida eterna.


Fonte: Lecionário Patrístico Dominical, pp. 483-484.
Homilia: XXVIII Domingo do Tempo Comum - Ano B Homilia: XXVIII Domingo do Tempo Comum - Ano B Reviewed by Francisco Nascimento on 17:42 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.