Homilia: XXIV Domingo do Tempo Comum - Ano B

São Cesário de Arles
Sermão 159
Não é duro o que manda aquele que ajuda a realizar o que ordena

Se alguém me quer seguir, que carregue sua cruz. Parece duro, caríssimos irmãos, e se considera como grave o que no Evangelho ordenou o Senhor, dizendo: Se alguém me quer seguir, que se negue a si mesmo. Porém não é duro o que manda aquele que ajuda a realizar o que ordena.
E para onde devemos seguir a Cristo, senão para onde Cristo está? Sabemos, de fato, que ressuscitou, que subiu ao céu: para lá devemos segui-lo. Não devemos ceder à desesperança, e não porque o homem seja capaz de algo, mas porque Ele o prometeu. O céu estava muito distante de nós, até que nossa cabeça subiu ao céu. Porém, agora, como vamos desesperar de lá chegar, se somos membros daquela cabeça? E por que razão? Porque a terra é campo do medo e da dor: sigamos a Cristo em quem está a suprema felicidade, a suprema paz, a eterna segurança.
Somente quem deseja seguir a Cristo prestará atenção ao que diz o Apóstolo: Quem diz que permanece em Cristo, deve viver como Ele viveu. Queres seguir a Cristo? Seja humilde como Ele o foi: não desprezes a sua humildade, se desejas elevar-te à sua sublimidade. O caminho se tornou pedregoso ao pecar o homem; porém, voltou a ser transitável desde que Cristo, ao ressuscitar, o aplainou; de estreitíssima trilha se tornou em estrada real. Por esta estrada se corre com os pés gêmeos da humildade e da caridade. Aqui todos aspiram aos cumes da caridade, porém o primeiro degrau é a humildade. O que é isso de queimar etapas? Queres cair, não ascender. Começa pelo primeiro degrau, o da humildade, e já começaste a ascensão.
Por isso, nosso Senhor e Salvador não se satisfez em dizer: Que se negue a si mesmo, mas acrescentou: Que carregue a sua cruz e me siga. O que significa “Que carregue a sua cruz”? Suporte qualquer desgosto: e assim me siga. Bastará que me siga imitando a minha vida e cumprindo meus preceitos, para que na ocasião oportuna apareçam muitos oponentes, muitos que tentarão impedi-lo; encontrará não só muitos que zombem dele, mas também muitos perseguidores. E isto não só entre os pagãos, mas até mesmo entre aqueles que, com o corpo, parecem estar dentro da Igreja, mas que na realidade estão fora pela perversidade das obras e, ostentando unicamente o nome de cristãos, não cessam de perseguir aos bons cristãos. Portanto, se tu desejas seguir a Cristo, toma em seguida a sua cruz: suporta aos maus, mantém-te firme.
Assim, se queremos cumprir o que disse o Senhor: Quem quiser vir após mim, carregue a sua cruz e me siga, esforcemo-nos por colocar em prática, com a ajuda de Deus, o que diz o Apóstolo: Tendo o que comer e o que vestir, demo-nos por satisfeitos, não nos ocorra que desejando os bens terrenos além da estrita necessidade, busquemos enriquecer-nos, nos embaracemos em mil tentações, criemos para nós necessidades absurdas e nocivas, que afundam os homens na perdição e na ruína. Que o Senhor se digne livrar-nos com sua proteção de semelhante tentação, Ele que com o Pai e o Espírito Santo vive e reina pelos séculos dos séculos. Amém.


Fonte: Lecionário Patrístico Dominical, pp. 467-468.
Homilia: XXIV Domingo do Tempo Comum - Ano B Homilia: XXIV Domingo do Tempo Comum - Ano B Reviewed by Francisco Nascimento on 19:24 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.