A nova criação

O Senhor aceitou entregar seu corpo à destruição para sermos santificados pela remissão dos pecados que nos vem da aspersão de seu sangue. Sobre ele foi escrito tanto para Israel como para nós: Foi ferido por causa de nossas iniquidades e atribulado por nossos pecados; por suas chagas fomos curados. Igual à ovelha, conduzido ao matadouro e como cordeiro diante do tosquiador (cf. Is 53,5-7). Quantas e quão grandes graças devemos dar ao Senhor que nos mostrou as coisas passadas, ensinou-nos as presentes e não pôs fora de nosso entendimento as futuras. Diz a Escritura: Não se armam injustamente redes contra as aves (cf. Pr 1,17). Quer dizer, perecerá, com justiça, o homem que possui o conhecimento do caminho da justiça e se volta para o caminho das trevas.
E ainda há mais, meus irmãos: se o Senhor aceitou padecer por nossa vida, apesar de ser o Senhor do mundo inteiro, ele a quem disse Deus na criação do mundo: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança (Gn 1,26), como suportou o sofrimento por mão de homem? Aprendei. Os profetas, por sua graça, sobre ele profetizaram; ser-lhe-ia preciso aparecer na carne para destruir a morte e manifestar a ressurreição dos mortos. Ele tudo suportou para cumprir a promessa feita aos pais e preparar para si um povo novo enquanto estava na terra, e revelar-se, depois da ressurreição, como o Juiz. Assim também ensinava, fazendo tão grandes prodígios e milagres,a Israel que não o confessava nem amava.
Quando, pois, nos renovou pela remissão dos pecados, fez com que tivéssemos nova forma, uma alma como de meninos, como se nos tivesse criado de novo. A Escritura diz a nosso respeito, como fala o Pai ao Filho: Façamos o homem à nossa imagem e semelhança e domine os animais da terra, as aves do céu e os peixes do mar (cf. Gn 1,26). E o Senhor, vendo a beleza de nossa forma, disse: Crescei e multiplicai-vos e enchei a terra (Gn 1,28). Tudo isto disse o Pai ao Filho.
Mas vou mostrar-te de novo, como fala a nós. Realizou a segunda criação nos últimos tempos. Pois disse o Senhor: Eis que faço as últimas como as primeiras (cf. Ap 2,19). Contemplando-o, declara o profeta: Entrai na terra onde correm o leite e o mel e dominai-a (cf. Ex 33,3).
Assim fomos nós formados de novo, como também outro profeta fala: Eis, diz o Senhor, arrancarei deles, isto é, daqueles que o Espírito do Senhor antevia, os corações de pedra e porei corações de carne (Ez 11,19). Ele quis aparecer na carne e habitar entre nós. Templo santo para o Senhor, meus irmãos, é a morada de nosso coração. E o Senhor reafirma: Louvar-te-ei na reunião de meus irmãos e cantarei a ti no meio da assembleia dos santos (cf. Sl 21,23).
Na verdade somos nós, aqueles que ele introduziu na terra boa.


Da chamada Carta de Barnabé
 (Cap.5,1-8;6,11-16: Funk 1,13-15.19-21)                  (Séc. II)
A nova criação A nova criação Reviewed by Francisco Nascimento on 07:13 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.