DA «EGOLATRIA» À «EGOCRACIA»


O «eu» parece gostar de se afirmar perante os outros e também — o que é pior —à custa dos outros. No fundo, cada «eu» sente-se detentor de todos os direitos. Cada outro é encarado como portador de todos os deveres. Eis a síntese do nosso tempo: tanta gente perto; tanta gente só. Todos vivem ao lado de todos. Mas ninguém parece saber de ninguém. Aos olhos de muitos, será que alguém é mais que ninguém?

É óbvio que, no tropel de mudanças que estão em curso, o «eu» ganha muito. Mas arrisca-se a perder o mais importante. A lógica do lucro valoriza a transação comercial e subestima o serviço gratuito.

Ainda há muitos que servem. Mas são cada vez mais os que se servem. O «self service» é uma prática e é sobretudo um sinal. Servir está a ser um verbo cada vez mais reflexo. Para não poucos, servir é, acima de tudo, servir-se. É urgente perceber que nada somos sem os outros. Inferno não são os outros. Inferno é viver sem os outros, contra os outros. Era bom que percebêssemos que existir é nunca desistir, é nunca desistir dos outros.

Acontece que a revolução individualista parece ter passado a uma segunda — e mais perigosa — fase. Como se já não bastasse a «egolatria», temos de suportar também a «egocracia». É que enquanto a «egolatria» leva cada um a viver para si mesmo, a «egocracia» leva a pretender que os outros vivam em função de nós próprios.

Curiosamente, já Oscar Wilde se apercebera de que «egoísmo não é tanto viver à nossa maneira, mas exigir que os outros vivam como nós queremos». Estamos, assim, a ser arrastados para a dominação do mais descontrolado poder: o poder do «eu». E em vez de uma só ditadura, acabamos por estar submetidos a muitas ditaduras: às «ditaduras» de muitos «eus».


Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

DA «EGOLATRIA» À «EGOCRACIA» DA «EGOLATRIA» À «EGOCRACIA» Reviewed by Francisco Nascimento on 04:35 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.