Homilia: Solenidade de Pentecostes

Orígenes
Comentário sobre a Carta aos Romanos
“Pode-se possuir ao Espírito de diversas maneiras”

Eu gostaria de investigar o que quer dizer quando se afirma que o Espírito de Cristo, ou o Espírito de Deus, o próprio Cristo habita em nós: se desde o princípio se concede este Espírito a todos, e após algum tempo este o abandona devido aos atos pecaminosos e alheios a Deus, segundo o que está escrito: Meu espírito não permanecerá nestes homens, porque são carne; se acaso se concede o Espírito em virtude da vida, ou pela graça da fé, conforme o que ensina os Atos dos Apóstolos, que o Espírito veio sobre cada um deles em forma de línguas de fogo; ou, como o Evangelho nos ensina, quando o Salvador disse aos seus discípulos, após ressuscitar dentre os mortos: soprou sobre cada um deles e disse: Recebei o Espírito Santo.
Por isso me parece que este dom se conquista com méritos, se conserva com a inocência da vida, aumenta em cada um conforme o progresso da fé e da graça, e quanto mais pura se faz a alma, tanto mais se infunde o Espírito nela. Enquanto que as palavras: Meu Espírito não permanecerá nestes homens, porque são carne, referem-se à alma que, rejeitando o serviço do Espírito, voltou-se inteiramente ao serviço da carne; por isso é chamada carne, porque tendo-se unido à carne, fez-se uma só coisa com ela.
Disto se conclui que se pode possuir ao Espírito de diversas maneiras. Tem-se o Espírito de Cristo por inspiração divina, segundo o que acima acabamos de citar: Soprou sobre eles dizendo: Recebei o Espírito Santo. E também como foi dito que aconteceu nos Atos dos Apóstolos, que aqueles falavam em diversas línguas. Existem outras maneiras: como a que nos refere o Livro dos Reis, quando a Escritura afirma: O Espírito se apoderou de Saul, e começou a profetizar. Há ainda outro modo, quando o Salvador, já ressuscitado, caminhou junto com Cléofas e o outro discípulo e, explicando-lhes a Escritura, os abrasou com o Espírito de sua boca, ao ponto que eles se diziam: Acaso não ardia nosso coração quando nos explicava as Escrituras?
Porém, queres ver que não somente ao falar Jesus entregou seu Espírito aos ouvintes, mas que também aquele que anuncia a Palavra de Deus entrega aos ouvintes o Espírito de Deus? Veja como nos Atos dos Apóstolos, falando Pedro a Cornélio, ele ficou cheio do Espírito Santo e todos que com ele estavam. Portanto, se tu anuncias a Palavra de Deus e falas fielmente com consciência pura, e se não podes ser acusado de dizer uma coisa e fazer outra, pode acontecer que o fogo do Espírito Santo inflame os corações de teus ouvintes, e que de modo permanente estes se ascendam e ardam para cumprir tudo aquilo que ensinas, de maneira que observem o que aprenderam por teu ensinamento, e busquem “aquele que é do alto”, e valorizem “não o que está sobre a terra”.
Da seguinte maneira se prova se cada um tem em si o Espírito de Cristo: Cristo é a sabedoria, se alguém é sábio conforme a Cristo e julga segundo Cristo, tem em si o Espírito de Cristo mediante a sabedoria. Cristo é a justiça: se alguém tem em si a justiça de Cristo, pela justiça tem em si o Espírito de Cristo. Cristo é a paz: se alguém tem em si a paz de Cristo, mediante o Espírito da paz tem em si o Espírito de Cristo. O mesmo se diga da caridade, e da santificação, e de cada um dos atributos que se pregam de Cristo: se há de crer que tem em si o Espírito de Cristo e pode esperar que esse Espírito que habita nele dará vida ao seu corpo mortal.


Fonte: Lecionário Patrístico Dominical, pp. 364-366.
Homilia: Solenidade de Pentecostes Homilia: Solenidade de Pentecostes Reviewed by Francisco Nascimento on 02:46 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.