OLHEMOS PARA A UNÇÃO (e não apenas para a função) DO PADRE


Será que o mundo conhece o padre? Será que nós, cristãos, conhecemos os padres? Mais habituados a apontar-lhes o dedo do que a estender-lhes a mão, pronunciamo-nos fartamente sobre os seus atos. Mas que atenção procuramos prestar à sua identidade?

As notícias sobre padres são muitas. Já as apreciações sobre o que é ser padre raramente se mostram justas. Para sabermos o que é ser padre, temos de nos fixar, antes de mais — e acima de tudo —, em Cristo. É no mundo que o padre tem de estar, mas não é como o mundo que o padre tem de ser. No mundo, o padre é chamado a ser (como) Cristo.

Isto significa que, no mundo, o padre não existe para ser igual, mas para ser diferente. Acontece que, em relação ao padre, tudo tende a ser escrutinado a jusante; nada (ou muito pouco) é visto a montante.

No padre, costumamos destacar (quase exclusivamente) a função. No limite, tomamo-lo como um «funcionário» a quem ordenamos que faça o que lhe exigimos e a quem mal damos oportunidade para fazer o que deve.

E é assim que aquele que está chamado a ser um promotor de encontros passa grande parte do tempo a gerir desencontros. Quem olha para a unção (e não apenas para a função) do padre?

Quando compreenderemos que o padre está ungido por Cristo, como Cristo está ungido pelo Pai? Basta pensar que Cristo — tal como Messias — quer dizer precisamente «ungido». Daí que, na ordenação, o padre oiça estas palavras enquanto é ungido: «O Senhor Jesus Cristo, a Quem o Pai ungiu pelo Espírito Santo e Seu poder, te guarde para santificares o povo cristão e ofereceres a Deus o sacrifício».

Por aqui se vê como, no padre, a função nasce da unção. Ele é ungido por Cristo para agir em nome de Cristo. Assim sendo, o padre, que não substitui Cristo, é aquele que representa Cristo. Ou seja, é aquele que torna presente o próprio Cristo.

No fundo, é isto o que o mundo espera de cada padre: que torne presente Cristo. Ajudemos, pois, os nossos padres para que eles sejam a única coisa que deles devemos esperar: a transparência de Cristo. Em forma de ação, em forma de testemunho, em forma de profecia, em forma de amor!

Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

OLHEMOS PARA A UNÇÃO (e não apenas para a função) DO PADRE OLHEMOS PARA A UNÇÃO (e não apenas para a função) DO PADRE Reviewed by Francisco Nascimento on 07:44 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.