A PIOR LEPRA — HOJE — É A FALSIDADE


Entende-se, então, que Deus Se deixe encontrar na retidão e na sinceridade. Deus deu-nos um só rosto, não duas caras. Devemos ter, por isso, uma personalidade única e não uma personalidade dupla, ou múltipla. A nossa personalidade não deve variar conforme as ocasiões ou os interesses. Em cada situação, devemos ser inteiros e limpos. Não devemos ser integristas, mas devemos ser íntegros. Caso contrário, nunca nos conheceremos nem nos conhecerão.
Não podemos ser uns em casa e outros fora de casa. Não podemos ser uns na igreja e outros fora da igreja. Há que ser coerente. A mentira dos lábios faz mal, mas a falsidade da vida faz muito pior.

A falsidade é, hoje em dia, a grande lepra de que padecemos. Como sabemos, a lepra já não é uma doença incurável. Mas é uma doença de que muitos não se querem curar. Há quem não queira curar-se da lepra da falsidade, da lepra da corrupção, da lepra da injustiça. É uma lepra que todos reconhecemos, mas que poucos assumem.
Jesus, que Se apresentou como sendo a Verdade (cf. Jo 14, 6), é o médico — e o medicamento — para vencermos esta lepra da falsidade.


Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

A PIOR LEPRA — HOJE — É A FALSIDADE A PIOR LEPRA — HOJE — É A FALSIDADE Reviewed by Francisco Nascimento on 01:35 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.