O DESCONFORTO de Hugo de Azevedo (Extraído do livro 'Poemas Imperfeitos')


Vento de Vncent Van Gogh
O desconforto do vento
o desconcerto do ar
o frio de fora a entrar
no guarda-vento do horto!
(Mas que estou eu a palrar
sem horto nem guarda-vento
só por o vento soprar
como é próprio deste tempo?)
É o desconforto do mar
é o frio vento da noite
é o lobo da noite a uivar
sobre mim como um açoite!
(Mas que estou eu a chorar
se o vento pára nos muros
e nem me chega a tocar
com os seus silvos escuros?)
É o desconforto dos outros
é o arrepio dos ramos
são animaizinhos mortos
é o tremerzinho dos canos
Coitado de quem, coitado
pela ventania vai
Tenho pena do coitado
como se fosse seu pai
Meu irmão que andas ao vento
gostava de estar contigo
Dava-te a minha amizade
que é sempre o melhor abrigo

Hugo de Azevedo
O DESCONFORTO de Hugo de Azevedo (Extraído do livro 'Poemas Imperfeitos') O DESCONFORTO de Hugo de Azevedo (Extraído do livro 'Poemas Imperfeitos') Reviewed by Francisco Nascimento on 18:33 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.