O Senhor se manifesta no seu dia

1 Eis que o Senhor devasta a terra e a castiga,
perturbando sua superfície
e dispersando seus habitantes.
2 Como for tratado o povo, assim será o sacerdote;
como o escravo, assim o senhor;
como a serva, assim a patroa;
como o que compra, assim o que vende;
como o que empresta, assim o que toma emprestado;
como o credor, assim o devedor.
A terra será entregue à devastação
e será vítima de pilhagens:
foi o Senhor que o disse.
Enluta-se e adoece a terra,
perde vigor e adoece o mundo,
perdem vigor céus e terra.
A terra foi corrompida por seus habitantes,
porque eles transgrediram suas leis,
violaram o mandamento de Deus,
desfizeram a aliança eterna.
6 Por isso a maldição envolveu a terra
e seus habitantes sofreram penas;
diminuíram os que a cultivam,
poucos homens foram deixados.
7 O vinho está deteriorado,
a videira secou,
gemem todos os que tinham o coração alegre.
A alegria dos tambores acabou,
calou-se a zoada dos folgazões,
acabou a alegria da cítara;
não mais tomarão vinho entre cantigas,
a bebida será amarga para os que a tomam.
10 A cidade vazia foi destruída,
toda casa está fechada, para ninguém entrar;
11 nas ruas grita-se por vinho,
acabou-se toda a alegria
desapareceu o prazer de viver.
12 Reina a solidão no casario,
e a porta da cidade tombou em pedaços;
13 tudo isso acontece no meio da região,
no meio dos povos,
como oliveiras sacudidas
ou cachos colhidos ao fim da vindima.
14 Alguns levantarão a voz,
louvarão a majestade do Senhor,
gritarão do outro lado onde fica o mar.
15 Por isso glorificai o Senhor do lado da luz do sol,
louvai o nome do Senhor Deus de Israel
nas terras do além-mar.
16 Dos confins da terra ouviram-se aclamações:
“Glória a Deus justo”.
E eu disse: “Guardarei meu segredo,
guardarei meu segredo.
Ai de mim!”
Surgiram os transgressores,
cometendo toda sorte de infrações.
17 Ó habitante da terra,
para ti estão reservados medo, armadilha e rede.
18 Quem por medo fugir a um grito,
cairá na armadilha;
e quem escapar da armadilha,
ficará preso à rede.
Abriu-se o aguaceiro das nuvens
e abalaram-se as fundações da terra.


Do Livro do Profeta Isaías             24,1-18

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante