O reino da verdadeira justiça

31,1 Ai dos que viajam ao Egito em busca de ajuda,
esperando nos cavalos,
confiando nos carros de guerra, muito numerosos,
e nos cavaleiros, muito afamados,
em vez de recorrerem ao Santo de Israel
e procurarem o Senhor.
Ele, porém, sábio, permite o mal,
e não retira a sua palavra;
há de erguer-se contra a casa dos ímpios
e contra a ajuda dos que praticam iniqüidades.
O egípcio é homem, e não deus;
os seus cavalos são carne, e não espírito;
se o Senhor abaixar a mão,
vai ao chão o protetor,
cai o protegido
e todos se acabam juntamente.
32,1
 Eis que o rei deve reinar com justiça
e os príncipes devem presidir com eqüidade.
Os homens devem ser como pára-ventos
e abrigos contra a tempestade,
ou como veios d’água em terra sedenta
e sombra de grande rochedo em terra seca.
Os olhos dos videntes não ficarão embaçados
e os ouvidos dos que ouvem ouvirão com atenção,
a mente dos simples compreenderá a ciência
e a língua dos gagos falará rápido e claro.
Não mais se chamará nobre a um insensato
nem grande homem a um trapaceiro;
o insensato fala insensatez,
tem o pensamento voltado para o mal
e para a prática da impiedade:
pronuncia blasfêmias contra o Senhor,
deixa o pobre morrer de fome
e nega água ao que tem sede.
O trapaceiro causa os piores danos;
ele vive inventando planos
para prejudicar com mentiras os humildes,
mesmo quando o pobre apela à justiça.
A pessoa bem formada dá bons conselhos
e cresce em estima pessoal.



Do Livro do Profeta Isaías 31,1-3; 32,1-8
O reino da verdadeira justiça O reino da verdadeira justiça Reviewed by Francisco Nascimento on 03:09 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.