Homilia: IV Domingo do Advento - Ano B

São Beda, o Venerável
Sermão III no Advento
Conceberás e darás à luz um filho

A leitura do santo Evangelho que acabamos de escutar, caríssimos irmãos, nos recorda o prelúdio de nossa redenção, quando Deus enviou um anjo à Virgem para anunciar-lhe o novo nascimento, na carne, do Filho de Deus, e por quem, deposta a antiga nociva, possamos ser renovados e constados entre os filhos de Deus. Assim, para merecer conseguir as graças da salvação que nos foi prometida, procuremos perceber com ouvido atento os seus primeiros passos.
O anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem chamado José, e a virgem se chamava Maria. O que se afirma da estirpe de Davi se refere não somente a José, mas também a Maria, pois na Lei existia a norma segundo a qual cada israelita devia casar-se com uma mulher de sua mesma tribo e família. O atesta o apóstolo quando, escrevendo a Timóteo, diz: Lembra-te de Jesus Cristo, o Senhor, nascido da linhagem de Davi, e ressuscitado dentre os mortos. Este tem sido o meu Evangelho. Em consequência, o Senhor nasceu realmente da linhagem de Davi, já que sua Mãe virginal pertencia à verdadeira estirpe de Davi.
O anjo, entrando em sua presença, disse: Não temas, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Conceberás em teu ventre e darás à luz um filho e lhe porás por nome Jesus. Ele será grande, se chamará Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Chama trono de Davi ao reino de Israel, e que Davi em seu tempo governou com fiel dedicação por mandato e com o auxílio de Deus. O Senhor deu, portanto, a nosso Redentor o trono de seu pai Davi, quando dispôs que este se encarnasse na estirpe de Davi, para que com a sua graça espiritual conduzisse ao reino eterno o povo eu Davi regeu com um poder temporal. Como afirma o apóstolo: Ele nos tirou do domínio das trevas, e nos transladou ao reino de seu Filho amado.
E reinará para sempre na casa de Jacó. O anjo chama casa de Jacó a Igreja universal, que pela fé e a confissão de Cristo pertence à estirpe dos patriarcas, seja através dos que genealogicamente pertencem à linhagem deles, seja através dos que, oriundos de outras nações, renasceram em Cristo mediante o banho espiritual. Justamente é nesta casa que reinará para sempre, e seu reino não terá fim. Cristo reina atualmente na Igreja, quando, habitando no coração dos escolhidos pela fé e a caridade, os rege e os governa com sua contínua proteção, para que consigam alcançar os dons da suprema retribuição. Reina na vida futura, quando, ao término de seu exílio temporal, os introduz na morada da pátria celestial, onde eternamente seduzidos pela visão de sua presença se sentem felizes de não fazer outra coisa além de louvá-lo.


Fonte: Lecionário Patrístico Dominical, pp. 282-283.
Homilia: IV Domingo do Advento - Ano B Homilia: IV Domingo do Advento - Ano B Reviewed by Francisco Nascimento on 17:23 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.