A OUVIR TAMBÉM SE VÊ

O Natal é um luminoso mistério de palavra e silêncio.
Foi no silêncio mais profundo que a Palavra desceu ao mundo.
Deus diz tudo e parece que ninguém ouve nada.
Foi necessário que os céus falassem para que os homens despertassem (cf. Lc 2, 8-18).
O nosso tempo tem separado o silêncio da palavra e não cessa de afastar a palavra do silêncio.
Não conseguimos gerar palavras no silêncio e não somos capazes de digerir em silêncio as palavras.
Achamos que falar é apenas produzir sons. E é assim que nos descomedimos: em vez de falar, fazemos ruído.
Tantas palavras saem dos nossos lábios. Mas quantas palavras chegam aos nossos ouvidos e entram na nossa alma?
Será que já olhamos para Maria como mestra da palavra? Maria foi alguém que falou muito: não com os lábios, mas com a vida.
Muitas palavras Maria guardou em Si (cf. Lc 2, 19). Mas bastou-Lhe uma palavra para que o mundo nunca mais se esquecesse de Si. Foi a Palavra que Se fez carne no Seu seio (cf. Jo 1, 14; Lc 1, 35).
Para Maria, era mais importante deixar ressoar a Palavra do que fazer soar palavras (cf. Lc 1, 38).
Foi Deus quem falou no silêncio de Belém. É no silêncio que nós ouviremos Deus também.
Maria compreendeu que a ouvir também se vê.
Ver é encontrar e há muita coisa que não encontramos com os olhos. Há muita coisa que só encontramos escutando. Mas quem escuta, hoje?
Nós, que ocupamos o tempo a ver, vamos passando ao lado do mais belo que pode acontecer.
Portamo-nos como aquele homem a que alude Timothy Radcliffe.
Sentado a uma mesa, ele olha na direção de uma mulher que fala, à sua frente. A certa altura, ela diz, extasiada: «O que eu aprecio em ti é que és um ouvinte maravilhoso».
Nenhuma resposta, porém. De repente, ela dá conta de que, atrás de si, está um televisor, a emitir um jogo de futebol. Era para trás da mulher que aquele homem olhava. Não era a mulher que aquele homem escutava.
É sobretudo a escutar que veremos tanta coisa bela na nossa vida entrar.
É por isso que nos faz sempre tão bem respirar o silêncio que vem de Belém!


Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.
A OUVIR TAMBÉM SE VÊ A OUVIR TAMBÉM SE VÊ Reviewed by Francisco Nascimento on 03:35 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.