O sacrifício pelos mortos

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sentadas32 Depois da festa chamada Pentecostes, marcharam contra Górgias, comandante da Iduméia. 33Este saiu a campo com três mil soldados de infantaria e quatrocentos cavaleiros. 34Na luta que se travou, morreram alguns judeus. 35Certo cavaleiro, do corpo de Bacenor, chamado Dositeu, homem valente, agarrou Górgias pelo manto e pôs-se a arrastá-lo vigorosamente, pois queria capturá-lo vivo. Mas um cavaleiro da Trácia precipitou-se sobre ele e amputou-lhe o ombro. Assim Górgias fugiu para Marisa. 36As tropas de Esdrin, que combatiam há muito tempo, já estavam esgotadas. Então Judas suplicou ao Senhor para que se manifestasse como aliado e guia no combate. 37 Em seguida, bradando, na língua de seus pais, o grito de guerra e entoando hinos, atirou-se subitamente sobre os soldados de Górgias, obrigando-os à retirada.
38 Depois disto, reunindo o seu exército, Judas alcançou a cidade de Odolam. Como chegasse o sétimo dia da semana, purificaram-se conforme o costume e ali mesmo celebraram o sábado. 39No dia seguinte, porque já era urgente a tarefa, os homens de Judas foram recolher os corpos dos que tinham tombado, para depositá-los com seus parentes nas sepulturas familiares. 40Então, debaixo das túnicas de cada um dos mortos, encontraram objetos consagrados aos ídolos de Jâmnia, cujo uso a Lei vedava aos judeus. Tornou-se evidente a todos que fora aquela a causa da sua morte. 
41 Bendisseram todos a ação do Senhor, o justo juiz que torna manifestas as coisas ocultas, 42e puseram-se em oração, suplicando-lhe que fosse inteiramente perdoado o pecado cometido. O nobre Judas exortou o povo a conservar-se isento do pecado, pois tinham visto com os próprios olhos o que acontecera por causa do pecado dos que haviam tombado. 43Depois, mandou fazer uma coleta, recolhendo cerca de duas mil dracmas, que enviou a Jerusalém para que se oferecesse um sacrifício pelo pecado. Ação justa e nobre, inspirada na sua crença na ressurreição. 44Pois, se ele não esperasse que os soldados mortos haviam de ressuscitar, teria sido vão e supérfluo rezar por eles. 45Considerava, porém, que aos que morrem piedosamente está reservada uma bela recompensa. 46Santo e piedoso pensamento, este de orar pelos mortos. Por isso ele ofereceu um sacrifício expiatório pelos defuntos, para que fossem livres dos seus pecados.

Do Segundo Livro dos Macabeus             12,32-46

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante