NÃO NOS AMEDRONTEMOS COM O FIM

O Evangelho compara a vinda definitiva de Cristo a uma grande festa, à festa nupcial. O noivo que está para chegar é Cristo. As dez jovens representam a Igreja que, por entre consolações e perseguições, anseia pela Sua chegada. Acontece que, dentro da Igreja, há ainda quem não esteja atento nem preparado, tendo apostado tudo neste mundo.

Não podemos afrouxar a vigilância nem enfraquecer o nosso compromisso. Cuidado, pois, com o comodismo, o adormecimento e o desleixo. É preciso renovar, em cada dia, o nosso compromisso com Cristo. A certeza de que Ele há-de vir é um estímulo para prosseguir.

Não nos amedrontemos com o fim. É nele que acontece o grande festim. Para esse festim somos chamados. Para esse definitivo encontro estamos convidados. Nunca esqueçamos isto e sigamos sempre os passos de Jesus Cristo.

Até a morte Ele venceu. Por nós a Sua vida Ele deu. Na Sua morte, as portas da eternidade foram-nos abertas. Por isso, as razões da nossa esperança não são incertas. Nós somos portadores da mais bela certeza. Deus quer-nos ao Seu lado, à Sua mesa. No tempo e na eternidade, o nosso destino é (sempre) a felicidade!



Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante