Prece em momento de desolação

1,1 Oráculo que o profeta Habacuc recebeu em visão.
2 Senhor, até quando clamarei,
sem me atenderes?
Até quando devo gritar a ti: “Violência!”,
sem me socorreres?
3 Por que me fazes ver iniquidades,
quando tu mesmo vês a maldade?
Destruições e prepotência estão à minha frente;
reina a discussão, surge a discórdia.
4 Por isso o ensinamento se enfraquece
e o direito jamais aparece!
Quando o ímpio ronda o justo
 o direito aparece torcido!
5 “Olhai entre os povos e contemplai,
espantai-vos, admirai-vos!
Porque realizo em vossos dias uma obra
que não acreditaríeis, se fosse contada.
6 Sim, eis que faço surgir os caldeus,
esse povo cruel e impetuoso,
que percorre a amplidão da terra
para conquistar habitações que não lhe pertencem.
7 É terrível e temível,
só dele procede o seu direito e a sua grandeza!
8 Seus cavalos são mais rápidos que as panteras,
mais ferozes que lobos da estepe.
Seus cavalos galopam,
seus cavaleiros chegam de longe,
voam como a águia que se apressa para devorar.
9 Acorrem todos para a violência,
sua face ardente é como um vento,
amontoam prisioneiros como areia!
10 Ele zomba dos reis,
os chefes lhe são motivo de riso.
Ri de todas as fortalezas;
faz aterros e as toma!
11 Então, como o vento que mudou, ele passa,
e faz de sua força o seu deus!”
12 Acaso não existes desde o princípio, Senhor,
meu Deus, meu Santo,
que não haverás de morrer?
Senhor, puseste essa gente como instrumento de tua justiça;
criaste-a, ó meu rochedo, para exercer punição.
13 Teus olhos são puros para não veres o mal;
não podes aceitar a visão da iniquidade.
Por que, então, olhando para os malvados,
e vendo-os devorar o justo, ficas calado?
14 Tratas os homens como os peixes do mar,
como os répteis, que não têm dono.
15 O pescador pega tudo com o anzol,
puxa os peixes com a rede varredoura
e recolhe-os na outra rede;
com isso, alegra-se e faz a festa.
16 Faz imolação por causa da sua malha,
oferece incenso por causa da sua rede,
porque com elas cresceu a captura de peixes
e sua comida aumentou.
17 Será por isso que ele sempre desembainhará a espada,
para matar os povos, sem dó nem piedade?
2,1 Vou ocupar meu posto de guarda
e estarei de atalaia,
atento ao que me será dito
e ao que será respondido à minha denúncia.
2 Respondeu-me o Senhor, dizendo:
“Escreve esta visão,
estende seus dizeres sobre tábuas,
para que possa ser lida com facilidade.
3 A visão refere-se a um prazo definido,
mas tende para um desfecho, e não falhará;
se demorar, espera,
pois ela virá com certeza, e não tardará.
4 Quem não é correto, vai morrer,
mas o justo viverá por sua fé”.


Início do Livro do Profeta Habacuc                 1, 1−2, 4

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante