Missas de Nossa Senhora: Virgem Maria das mercês

43. Bem-aventurada Virgem Maria das mercês
(Para o Tempo Comum)

Introdução
A Ordem da Santíssima Virgem Maria das Mercês (Mercedários) foi fundada por São Pedro Nolasco em Barcelona, tendo como carisma o cuidado dos cristãos retidos em cativeiro. Os textos deste formulário são, pois, tomados justamente do Próprio da Ordem dos Mercedários, que propagaram a devoção à “Senhora das mercês” sobretudo na Espanha e América Latina.
Invocada sob esse título, Maria é celebrada como “nossa advogada e serva da redenção” (Prefácio), associada a seu Filho, “Redentor dos homens”, que com seu sacrifício nos concedeu “a verdadeira liberdade” (Coleta).
A Virgem Maria é invocada ainda como “nova Judite”, que se levanta em defesa do seu povo (1ª leitura); profetisa da redenção de Israel, pois através do seu cântico glorifica a Deus que “socorreu Israel, seu servo” (Lc 1,54); companheira da Paixão de Cristo, na qual foi realizada a obra da nossa redenção; e, enfim, como nossa “celeste intercessora” (Oração após a Comunhão): “Ela vela sempre com amor materno pelos irmãos do seu Filho que sofrem, para que, destruídas as cadeias de toda a opressão, alcancem a plena liberdade de corpo e alma” (Prefácio)

Antífona de entrada (Lc 1,46a.54-56a)
Minha alma engrandece o Senhor,
porque socorreu Israel seu servo,
lembrando-se de sua misericórdia,
conforme prometera a nossos pais.

Oração do dia
Deus, Pai de misericórdia, que enviastes ao mundo o vosso Filho, Jesus Cristo, redentor dos homens, concedei que celebrando com sincera piedade a Virgem Maria, invocada com o título de Nossa Senhora das Mercês, conservemos fielmente a verdadeira liberdade de filhos de Deus, que Jesus Cristo, nosso Senhor, nos mereceu com o seu sacrifício, e a manifestemos incansavelmente a todos os homens. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Oração sobre as oferendas*
Recebei, Senhor, as oferendas do vosso povo, que celebra o mistério da imensa caridade de Cristo, e, com o exemplo da gloriosa Virgem Maria, confirmai-nos no amor a vós e ao próximo. Por Cristo, nosso Senhor.

Prefácio
Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o tempo e lugar, Senhor Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso.
Por desígnio admirável e providente do vosso amor, unistes a gloriosa Virgem Maria a Cristo, vosso Filho, com um estreito vínculo: em seu humilde nascimento, foi sua Mãe amantíssima; junto à cruz, foi associada à sua Paixão; e agora, elevada à cidade celeste, é nossa advogada e serva da redenção. Ela vela sempre com amor materno pelos irmãos do seu Filho que sofrem, para que, destruídas as cadeias de toda a opressão, alcancem a plena liberdade de corpo e alma.
Por isso, com todos os anjos e santos, celebrando o memorial da redenção e do amor do vosso Filho, proclamamos a vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz:

Antífona de Comunhão (Jo 2,5)
Disse a Mãe de Jesus aos que estavam servindo:
“Fazei tudo o que Ele vos disser”

Oração após a Comunhão
Senhor, tendo recebido os sacramentos da redenção e da vida, humildemente vos pedimos que, pela intercessão de Nossa Senhora das Mercês, dada por vós misericordiosamente como nossa Mãe piedosíssima e celeste intercessora, sirvamos com mais empenho ao mistério da salvação humana e mereçamos assim alcançar o Reino dos céus. Por Cristo, nosso Senhor.

Leitura: Jt 15,8-10; 16,13-14 (“Tu és bendita, ó mulher, junto de Deus”)
Salmo: Lc 1,46-48a.48b-49.50-51.52-3.54-55 (R: “O Senhor compadeceu-se de seu povo”)
Evangelho: Jo 19,25-27 (“Mulher, este é o teu filho”)

*Na oração sobre as oferendas a Coletânea apresenta a conclusão “Por nosso Senhor Jesus Cristo...”. Porém, esta conclusão é própria das coletas. Aqui o correto é utilizar “Por Cristo, nosso Senhor”, como indica a IGMR, n. 77.


Fonte:
Lecionário para Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 180-182.
Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 219-222.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante