Missas de Nossa Senhora: Maria, saúde dos enfermos

44. Bem-aventurada Virgem Maria, saúde dos enfermos
(Para o Tempo Comum)

Introdução
A salvação de Deus atinge o homem todo: corpo, alma, espírito. A salvação é o próprio Jesus Cristo, enviado do Pai como médico dos corpos e das almas, como o chama Santo Inácio de Antioquia em sua Carta aos Efésios. Durante sua vida terrena, Jesus curou muitos doentes, manifestando assim sua missão de salvar o homem todo.
Também a Virgem Maria, como Mãe de Cristo Salvador, socorre com amor seus filhos aflitos. Muitas vezes os doentes invocam a sua intercessão, inclusive dirigindo-se aos seus santuários, a fim de pedir por sua saúde. Portanto, com razão dentre os títulos de Maria aparece o de “Saúde dos Enfermos”, título propagado sobretudo pela Ordem dos Clérigos Regulares Ministros dos Enfermos (Camilianos).
Maria é apresentada como modelo de solicitude, recordando-se o episódio de sua visita a Isabel, e modelo de confiança na misericórdia de Deus, que ela canta no Magnificat (Lc 1,39-56). Assim como ela, somos chamados a ser solícitos para com os doentes e confiarmos sempre na misericórdia do Senhor.
As orações desta celebração, tomadas do Próprio dos Camilianos (exceto o prefácio), recordam a Virgem como “sinal de salvação e celeste esperança” para todos os que invocam seu auxílio (Prefácio). Ao mesmo templo, ela é exemplo de conformidade à vontade de Deus e configuração a Cristo, que tomou sobre si nossas enfermidades.

Antífona de entrada (cf. Sl 34/35,3; Jn 2,3)
Eu sou a salvação do meu povo, diz o Senhor.
Quando chamar por mim nas suas tribulações,
Eu ouvirei s sua voz.

Oração do dia
Senhor nosso Deus, concedei-nos sempre saúde de alma e corpo e fazei que, pela intercessão da sempre Virgem Maria, libertos das tristezas do tempo presente, gozemos das alegrias eternas. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Oração sobre as oferendas*
Ouvi, Senhor, as preces dos vossos fiéis, e aceitai os dons que vos apresentamos ao celebrarmos a memória da Virgem Maria, Mãe de Deus, para que a nossa oferenda vos seja agradável e nos traga o auxílio da vossa misericórdia. Por Cristo, nosso Senhor.

Prefácio
Na verdade, é justo e necessário, é nosso dever e salvação dar-vos graças, sempre e em todo o tempo e lugar, Senhor Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, e glorificar o vosso nome, ao celebrarmos a memória da Santa Virgem Maria.
Participando de modo admirável do mistério do sofrimento, ela brilha aos olhos dos enfermos que imploram o seu auxílio como sinal de salvação e celeste esperança. Ela prepara os corações dos que a veem como exemplo para aceitarem a vossa vontade e se identificarem plenamente com Cristo, que, pela sua grande caridade para conosco, suportou as nossas enfermidades e tomou sobre si as nossas dores.
Por Ele, com a multidão dos anjos que adoram a vossa majestade e se alegram na vossa presença, proclamamos a vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz:

Antífona de Comunhão (cf. Sl 117/118,14)
O Senhor é minha força e o meu canto,
e tornou-se para mim o Salvador.

Oração após a Comunhão
Ó Deus, o sacramento salutar do Corpo e Sangue de vosso Filho Unigênito que alegres recebemos em honra da bem-aventurada Virgem Maria, sua Mãe, nos cumule com os bens da vida temporal e nos plenifique com os dons eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

Leitura: Is 53,1-5.7-10 (“Ele tomava sobre si nossas enfermidades”)
Salmo: Sl 102, 1-2.3-4.6-7.8 e 10 (R: vv. 1a.3b)
Evangelho: Lc 1,39-56 (Visitação e Magnificat)

*Na oração sobre as oferendas a Coletânea apresenta a conclusão “Por nosso Senhor Jesus Cristo...”. Porém, esta conclusão é própria das coletas. Aqui o correto é utilizar “Por Cristo, nosso Senhor”, como indica a IGMR, n. 77.


Fonte:
Lecionário para Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 183-186.
Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 223-226.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante