LONGE DE JESUS, NUNCA ESTAREMOS PERTO DE DEUS

Afinal, que sabemos sobre Deus? Até saberemos muito do que o homem diz sobre Deus. Mas entre o que homem diz sobre Deus e o próprio vai uma grande distância. É importante não esquecer que, como alerta São João, só o Filho de Deus permite chegar ao conhecimento de Deus (cf. Jo 1, 18). Pelo que longe de Jesus, não estaremos nunca perto de Deus.

Longe de Jesus, colocamo-nos a nós como medida e erigimo-nos a nós como critério. Longe de Jesus, até poderemos pensar (ainda que não o digamos) que Deus nem sempre é justo. É que, embora nos queixemos da nossa justiça (apelidando-a de injusta), é com ela que olhamos para tudo e para todos. Até para Deus.

Neste pedaço do Evangelho, tendemos a achar que, no Reino de Deus, não há muita justiça. Preceituando a nossa justiça «salário igual para trabalho igual», espanta-nos como é que Deus parece defender um salário igual para trabalho desigual. Como é possível que os últimos sejam os primeiros e que os primeiros sejam os últimos (cf. Mt 20, 16)? Como explicar que aqueles que trabalharam menos recebam tanto como aqueles que trabalharam mais e que, ainda por cima, sejam os primeiros a ser pagos?

Foi um denário que o dono da vinha ajustou com os trabalhadores da primeira hora. Como entender que os trabalhadores da última hora tenham também recebido essa quantia? Começar a trabalhar às cinco da tarde não é o mesmo que começar «muito cedo». Custa mais trabalhar mais. A mais trabalho não deveria corresponder mais dinheiro?



Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.
LONGE DE JESUS, NUNCA ESTAREMOS PERTO DE DEUS LONGE DE JESUS, NUNCA ESTAREMOS PERTO DE DEUS Reviewed by Francisco Nascimento on 02:27 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.