É COM OS ÚLTIMOS QUE DEUS MAIS SE PREOCUPA

O mais intrigante, para a nossa mentalidade mercantilista, é a hora do pagamento. Os primeiros a ser pagos foram os da última hora. É natural (não sobrenatural) que os da primeira hora pensassem que iriam receber mais. Só que este pagamento é imagem do dom. A hora do pagamento é imagem da «hora da graça».

No Reino de Deus, tudo é dádiva, tudo é dom. Os últimos são os primeiros porque é com os últimos que Deus mais Se preocupa. Não é com o pastor que deixa as 99 ovelhas que estão seguras, para ir ao encontro da ovelha perdida, que o Filho de Deus Se identifica (cf. Lc 15, 4-6). Os primeiros são os últimos porque já estão dentro. Os primeiros não são prejudicados quando os últimos são beneficiados. O que salta à vista é que Jesus trata os últimos como trata os primeiros. Jesus faz dos últimos (também) primeiros.

Como bem explicitou São João Paulo II, o que singulariza a justiça de Deus é que dela também faz parte a misericórdia. Deus enche a justiça com a bondade. É por isso que Deus vai mais além da justiça. Deus dá a quem merece e não nega a quem não merece. Não terá chegado a hora de imitar a justiça de Deus?

Não exijamos que Deus seja como nós. Procuremos nós ser como Deus: magnânimos, bondosos, compassivos. É assim que seremos justos. É assim que não abandonaremos ninguém. É assim que os da «última hora» também terão a sua oportunidade.


Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante