DESABAFO DO PROFETA

1,18 Tu, Senhor, avisaste-me e eu entendi;
fizeste-me saber as intrigas deles.
19 Eu era como manso cordeiro levado ao sacrifício, e não sabia que tramavam contra mim: “Vamos cortar a árvore em toda sua força, eliminá-lo do mundo dos vivos, para seu nome não ser mais lembrado.”
20 E tu, Senhor dos exércitos,
que julgas com justiça
e perscrutas os afetos do coração,
concede que eu veja a vingança
que tomarás contra eles,
pois eu te confiei a minha causa.
12,1 Tu és justo, Senhor,
como disputar contigo?
Mas quero propor-te questões de justiça.
Por que a vida dos maus é um sucesso?
Tudo de bom acontece ao infiel e ao malfeitor.
2 Puseste-os no mundo, eles criam raízes,
crescem e dão fruto;
estás em seus lábios,
mas longe do seu coração.
3 Senhor, que me conheces e me vês,
e sabes que meu coração está contigo,
peço-te, separa-os como ovelhas de sacrifício
e preserva-os para o dia da matança.
4 Até quando há de chorar a terra
e ficará ressequida toda a erva do campo,
devido à má índole dos seus habitantes?
Animais e aves acabaram
para os que diziam: “Ele não os verá acabar”.
5 “Se te foi difícil correr com pedestres,
como agüentarás competir com cavalos?
Tu estarás seguro em terra de paz,
mas como farás nas matas fechadas do Jordão?
6 Teus próprios irmãos e parentes
agiram falsamente contra ti
e por trás de ti clamaram em alta voz;
não creias neles, quando te agradam com palavras”.
7 “Deixei a minha casa,
renunciei à minha herança,
entreguei a amada do meu coração aos seus inimigos.
8O povo de minha herança
tornou-se para mim como leão na selva,
a dar rugidos contra mim; por isso detestei-o.
9 Essa herança não é, para mim,
uma ave de plumagem diferente?
Não virão outras aves, ao redor, atacá-la?
Vinde, ajuntai-vos, animais todos do campo,
correi, é a hora de devorar.
10 Muitos pastores destruíram a minha vinha,
pisotearam minha propriedade;
fizeram de minha aprazível herança
uma solidão desértica.
11 Ela ficou devastada,
e chora diante de mim em sua desolação;
toda aquela terra está destruída,
porque não há mais quem disso se preocupe”.
12 Os atacantes foram chegando
a todos os outeiros do deserto,
é a devastadora espada do Senhor,
de um a outro extremo do país;
não há paz entre os seres humanos.
13 Semearam trigo e colheram espinhos,
trabalharam e não tiraram proveito;
envergonhai-vos de vossos parcos frutos,
lembrai-vos da ira do Senhor.


Do Livro do Profeta Jeremias                 11,18-20; 12,1-13

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante