MISSAS DE NOSSA SENHORA: MARIA, MÃE DA IGREJA (II)

26. Bem-aventurada Virgem Maria, imagem e Mãe da Igreja (II)
(Para o Tempo Comum)

Introdução
Este formulário celebra Deus que, em sua imensa bondade, deu-nos a Virgem Maria como “admirável exemplo de virtudes” (Antífona de entrada). O fundamento desta celebração é o n. 65 da Constituição Dogmática Lumen Gentium do Concílio Vaticano II: “Ao passo que, na Santíssima Virgem, a Igreja alcançou já aquela perfeição sem mancha nem ruga que lhe é própria (cf. Ef 5,27), os fiéis ainda têm de trabalhar por vencer o pecado e crescer na santidade; e por isso levantam os olhos para Maria, que brilha como modelo de virtudes sobre toda a família dos eleitos”.
Recorda-se, primeiramente, Maria como modelo das três virtudes teologais: a fé, a esperança e a caridade, como expresso na Oração após a Comunhão. A virtude da caridade é recordada igualmente na Coleta, juntamente com a virtude da humildade.
Maria também é lembrada como modelo na virtude da piedade, perseverando na oração com os Apóstolos (At 1,14) e oferecendo continuamente a Deus o culto espiritual (Rm 12,1).
O Prefácio, por fim, é inspirado na Exortação Apostólica Marialis Cultus, do Beato Paulo VI, nn. 16-21, nos quais Maria é apresentada como modelo para a Igreja na celebração dos divinos mistérios: é a Virgem ouvinte (n. 17), orante (n. 18), fecunda (n. 19), oferente (n. 20), vigilante. Em suma, Maria “é modelo, sobretudo, daquele culto que consiste em fazer da própria vida uma oferenda a Deus” (n. 21).

Antífona de entrada
Sois digna de todo louvor, ó Santa Virgem Maria,
porque de vós nasceu Jesus Cristo, nosso Deus
e resplandeceis na Igreja como admirável exemplo de virtudes.

Oração do dia
Senhor Deus, que nos destes a bem-aventurada Virgem Maria como exemplo de caridade sublime e de profunda humildade, concedei à vossa Igreja que, prosseguindo como Maria no mandamento do amor, se consagre à vossa glória e ao serviço dos homens, e seja, em meio de todos os povos sacramento de vossa caridade. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Oração sobre as oferendas
Transformai, Senhor, em sacramento de salvação os dons que apresentamos com alegria ao vosso altar, celebrando a memória da Virgem Maria, que resplandece em vossa Igreja como exemplo do verdadeiro culto espiritual, pelo qual nos devemos oferecer a nós mesmos como vítima santa que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.

Prefácio
Senhor, Pai santo, Deus eterno e onipotente, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-vos graças, sempre e em toda a parte, por Cristo, nosso Senhor;
Na vossa infinita bondade destes à Igreja, Virgem e Mãe, como modelo do verdadeiro culto, a Virgem Maria. Ela, virgem ouvinte, escuta com alegria as vossas palavras e, guardando-as no coração, silenciosa as medita. Virgem orante, com seu cântico de louvor exalta a vossa misericórdia, solícita intercede pelos esposos em Caná e se associa no Cenáculo à oração dos Apóstolos. Virgem fecunda, que dá à luz o Filho gerado por obra do Espírito Santo e, junto à cruz, é proclamada Mãe do povo da nova aliança. Virgem oferente, vos apresenta no templo seu Primogênito e, junto à árvore da vida, se une à sua oblação redentora. Virgem vigilante, espera firmemente a ressurreição do seu Filho e aguarda confiante a descida do Espírito Santo.
Por isso, com todos os anjos e santos, proclamamos a vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz:

Antífona de Comunhão
Bendita sois vós, Virgem Maria, cheia de graça.
Para vós erguemos os nossos olhos,
porque para toda a comunidade dos eleitos
brilhais como exemplo de virtude.

Oração após a Comunhão*
Depois de participarmos nos santos mistérios da vossa mesa, recebendo com espírito de piedade o Corpo e o Sangue do vosso Filho, humildemente vos pedimos, Senhor, que a vossa Igreja, contemplando a Santa Virgem Maria, seja sempre fervorosa na fé, fortalecida na caridade e confirmada na esperança da futura glória. Por Cristo, nosso Senhor.

Leitura: At 1,12-14 (“Perseveravam na oração em comum... com Maria, Mãe de Jesus”)
Salmo: Sl 86,1-2.3.5.6-7 (R: v. 3)
Evangelho: Jo 2,1-11 (Bodas de Caná)

* Na oração após a Comunhão a Coletânea apresenta a conclusão “Por nosso Senhor Jesus Cristo...”. Porém, esta conclusão é própria das coletas. Aqui o correto é utilizar “Por Cristo, nosso Senhor”, como indica a IGMR, n. 89.


Fonte:
Lecionário para Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 109-111.
Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 143-146.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante