MISSAS DE NOSSA SENHORA: IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA

28. Imaculado Coração de Maria
(Para o Tempo Comum)

Introdução
No sábado após o segundo domingo depois de Pentecostes (na semana seguinte à Solenidade do Sagrado Coração de Jesus) celebra-se a memória do Imaculado Coração de Maria (Missal Romano, p. 586). Além desta memória, muitos institutos possuem missas em honra ao Coração da Virgem. O formulário que aqui se propõe é tomado do Próprio da Congregação dos Missionários Filhos do Imaculado Coração de Maria (Claretianos).
A expressão “Coração de Maria” deve ser entendida, de maneira análoga ao “Coração de Jesus”, em sentido bíblico: o coração designa a pessoa, é o centro e fonte da inteligência, da memória e da vontade. Em uma palavra, o coração é aqui símbolo do amor indiviso com que Maria amou a Deus e se doou à obra salvadora do Filho. Por duas vezes no Evangelho é mencionado diretamente o coração da Virgem (Lc 2,19.51).
Esta Missa celebra, pois, a misericórdia de Deus, que propõe-nos o Coração de Maria como modelo do “coração novo” dos homens e mulheres da “nova aliança”.
O Coração de Maria é, pois, “a morada do Filho” e o “santuário do Espírito Santo” (Coleta). Recordando as palavras de Santo Agostinho: “enquanto a carne de Cristo se formava no seio de Maria, a verdade de Cristo era impressa no coração de Maria” (Sermo Denis, 25,7).
Dentre as características do Coração de Maria apresentadas nas orações desta Missa estão: imaculado (Coleta); sábio e dócil, novo e humilde, simples e puro, firme e vigilante (Prefácio).

Antífona de entrada (Eclo 24,25)
Em mim está toda a graça do caminho e da verdade,
em mim se encontra toda a esperança de vida e virtude.

Oração do dia
Senhor, nosso Deus, que preparastes no coração imaculado da Virgem Maria uma digna morada para o vosso Filho e um santuário do Espírito Santo, dai-nos um coração puro e dócil, para que, observando fielmente vosso mandamento, vos amemos sobre todas as coisas e, solícitos socorramos os nossos irmãos em suas necessidades. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Oração sobre as oferendas*
Olhai, Senhor, para os dons que vos oferecemos na comemoração da bem-aventurada Virgem Maria e concedei-nos que seguindo seus exemplos, os guardemos com fidelidade e continuamente meditemos as riquezas da graça do vosso Filho. Ele que vive e reina para sempre.

Prefácio
Senhor, Pai santo, Deus eterno e todo-poderoso, é verdadeiramente nosso dever, é nossa salvação dar-vos graças, sempre e em toda a parte, por Cristo, nosso Senhor.
Na vossa infinita bondade, destes à bem-aventurada Virgem Maria um coração sábio e dócil, para fazer sempre a vossa vontade; um coração novo e humilde, para imprimirdes nele a lei da nova aliança; um coração simples e puro, que a tornou digna de conceber virginalmente o vosso Filho e de vos contemplar eternamente na visão celeste; um coração firme e vigilante, para suportar corajosamente a espada de dor e esperar fielmente a ressurreição do seu Filho.
Por isso, com os anjos e santos, proclamamos a vossa glória, cantando (dizendo) a uma só voz:

Antífona de Comunhão (Lc 2,19)
Maria conservava todas estas palavras,
meditando-as em seu coração.

Oração após a Comunhão**
Senhor, que nos fizestes participar no sacramento da redenção eterna, concedei que ao celebrarmos a memória da Mãe do vosso Filho, nos alegremos com a plenitude da vossa graça e sintamos crescer continuamente em nós os frutos da salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Leitura: Jt 13,17-20; 15,9 (“O teu louvor não se apagará do coração”)
Salmo: Lc 1,46-48a.48b-49.50-51.52-53.54-55 (R: v. 49)
Evangelho: Lc 11,27-28 (“Feliz o ventre que te trouxe”ou Lc 2,46-51 (“Sua mãe conservava no coração todas estas coisas”)

*Na oração sobre as oferendas a Coletânea apresenta a conclusão “Que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo”, própria das coletas. Aqui o correto é utilizar “Que vive e reina para sempre”, como indica a IGMR, n. 77.

** Na oração após a Comunhão a Coletânea apresenta a conclusão “Por nosso Senhor Jesus Cristo...”. Porém, esta conclusão é própria das coletas. Aqui o correto é utilizar “Por Cristo, nosso Senhor”, como indica a IGMR, n. 89.


Fonte:
Lecionário para Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 115-117.
Missas de Nossa Senhora. Edições CNBB: Brasília, 2016, pp. 151-153.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante