,

Contra os falsos apóstolos

Irmãos: 7Acaso cometi algum pecado, pelo fato de vos ter anunciado o evangelho de Deus gratuitamente, humilhando-me a mim mesmo para vos exaltar? 8Para vos servir, despojei outras Igrejas, delas recebendo o meu sustento. 9E quando, estando entre vós, tive alguma necessidade, não fui pesado a ninguém, pois os irmãos vindos da Macedônia supriram as minhas necessidades. Em todas as circunstâncias, cuidei – e cuidarei ainda – de não ser pesado a vós. 10Tão certo como a verdade de Cristo está em mim, essa minha glória não me será arrebatada nas regiões da Acaia.
11E por quê? Será porque eu não vos amo? Deus o sabe! 12Como tenho agido, continuarei agindo, a fim de não dar oportunidade aos que desejam uma ocasião de se mostrarem iguais a nós, e de se gloriarem dos mesmos títulos que nós. 13Esses tais são falsos apóstolos, operários fraudulentos, disfarçados em apóstolos de Cristo. 14E não é de admirar, pois o próprio satanás se disfarça em anjo de luz. 15Portanto, não é de estranhar que também os seus servos se disfarcem em servos da justiça. O fim deles será conforme as suas próprias obras.
16Repito: Que ninguém me tenha como insensato. Ou, então, aceitai-me nem que seja como insensato, de modo que eu também me possa gloriar um pouco. 17O que eu vou dizer, não é segundo o Senhor que o direi, mas é como um insensato que está certo de ter algo de que se gloriar. 18Já que muitos se gloriam segundo a carne, eu também me gloriarei. 19Vós que sois tão sensatos, suportais, de bom grado, os insensatos! 20De fato, suportais que vos escravizem, que vos devorem, que vos espoliem, que vos tratem com arrogância, que vos batam no rosto.
21Tenho vergonha de o dizer: parece que nós é que temos sido muito fracos. O que outros ousam dizer em vantagem própria, eu também o digo a meu respeito, embora fale como insensato. 22São hebreus? Eu também. – São israelitas? Eu também. – São da descendência de Abraão? Eu também. 23– São servos de Cristo? Como menos sensato digo: Eu ainda mais. De fato, muito mais do que eles: pelos trabalhos, pelas prisões, pelos açoites sem conta. Muitas vezes, vi-me em perigo de morte. 24Cinco vezes, recebi dos judeus quarenta açoites menos um. 25Três vezes, fui batido com varas. Uma vez, fui apedrejado. Três vezes, naufraguei. Passei uma noite e um dia no alto-mar. 26Fiz inúmeras viagens, com inúmeros perigos: perigos de rios, perigos de ladrões, perigos da parte de meus compatriotas, perigos da parte dos pagãos, perigos na cidade, perigos em lugares desertos, perigos no mar, perigos por parte de falsos irmãos. 27Trabalhos e fadigas, inúmeras vigílias, fome e sede, frequentes jejuns, frio e nudez! 28E, sem falar de outras coisas, a minha preocupação de cada dia, a solicitude por todas as Igrejas! 29Quem é fraco, que eu também não seja fraco com ele? Quem é escandalizado, que eu não fique ardendo de indignação?


Da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios             11,7-29

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante