ESCUTAR O QUE (ainda) NÃO FOI OUVIDO

Que adianta falar se não se escuta? A comunicação precisa tanto do silêncio como das palavras. É que o diálogo não se faz só com os lábios; também se faz (e bastante) com os ouvidos. Acontece que nós transformamos a comunicação em ruído. Como todos falam, quase ninguém ouve. Importa, por isso, que passemos das palavras sobrepostas à palavra interposta. É preciso calibrar a palavra com o silêncio. Temos, pois, de ativar o silêncio: não só para ouvir o que se diz, mas também para escutar o que não é dito. Pertinente é, sem dúvida, o conselho de Paul Valéry: «Escuta o que se ouve quando nada se faz ouvir». Definitivamente, chegou a hora de escutar o que (ainda) não foi ouvido!



Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante