Admirável auxílio de Deus prestado ao fiel rei Josafá

Naqueles dias: 1Os moabitas e os amonitas, e com eles alguns meunitas, coligaram-se para fazer guerra contra Josafá. 2Vieram alguns mensageiros e informaram Josafá, dizendo: “Uma enorme multidão, vinda do outro lado do mar Morto, avança contra ti. Eles já estão acampados em Asason-Tamar, ou seja, em Engadi”. 
3Josafá ficou cheio de medo e se dispôs a invocar o Senhor, e promulgar um jejum para todo o Judá. 4A população de Judá reuniu-se para invocar o Senhor, e toda a gente acorria das cidades do interior de Judá para implorar o auxílio do Senhor. 
5Josafá apresentou-se à assembleia de Judá e de Jerusalém, no templo do Senhor, defronte ao átrio novo, 6e disse: “Senhor, Deus de nossos pais, tu és Deus no céu e governas todos os reinos dos povos. A ti pertencem força e poder e ninguém te pode resistir. 7Acaso não foste tu, o nosso Deus, que expulsaste do teu povo Israel, os habitantes desta terra e a deste, para sempre, aos descendentes de Abraão,teu amigo? 8Nesta terra se estabeleceram e nela construíram para ti um santuário em honra do teu nome, dizendo: 9‘Se vier sobre nós uma desgraça, como a guerra, flagelo de vingança, peste ou fome nós nos apresentaremos diante de ti neste templo, pois o teu nome é invocado nele, e chamaremos por ti do fundo da nossa angústia e tu nos ouvirás e nos salvarás’”. 13Toda a população de Judá estava de pé, diante do Senhor, com suas mulheres e filhos, inclusive os pequeninos. 
14Então, no meio da assembleia, o espírito do Senhor desceu sobre Jaaziel, filho de Zacarias, filho de Banaías, filho de Jeiel, filho de Matanias, levita da família de Asaf. 15E ele disse: “Prestai atenção, homens de Judá e de Jerusalém, e também tu, ó rei Josafá! Eis o que vos diz o Senhor: Não vos assusteis, nem tenhais medo dessa imensa multidão, pois a luta não é vossa, mas de Deus. 16Descei amanhã contra eles, porque subirão pela encosta chamada Sis, e os encontrareis na extremidade da torrente que corre em frente do deserto de Jeruel. 17Não tereis necessidade de combater. Mas ficai quietos e firmes, contemplando a salvação que o Senhor vos concederá, ó Judá e Jerusalém! Não vos assusteis nem tenhais medo. Saí, amanhã, ao encontro deles e o Senhor estará convosco”. 18Josafá prostrou-se com o rosto por terra, e todo o Judá e os habitantes de Jerusalém caíram diante do Senhor e o adoraram. 19Os levitas da linhagem dos coatitas e dos coreítas começaram então a louvar o Senhor, Deus de Israel, em alta voz. 
20No dia seguinte, de manhã, puseram-se a caminho para o deserto de Técua. Quando saíram, Josafá, de pé, no meio deles, disse: “Escutai-me, homens de Judá e vós, que habitais em Jerusalém! Confiai no Senhor vosso Deus e estareis seguros; crede em seus profetas e tudo vos correrá bem”. 21Em seguida, depois de se ter entendido com o povo, ele designou os cantores que, revestidos de ornamentos sagrados, haveriam de marchar à frente do exército, cantando: “Louvai o Senhor, pois a sua misericórdia é eterna!” 
22Logo que começaram a entoar este cântico de louvor, o Senhor fez cair numa emboscada os amonitas, os moabitas e os habitantes da montanha de Seir que marchavam contra Judá. E, assim, eles foram destruídos. 23Então os amonitas e os moabitas atiraram-se sobre os povos das montanhas de Seir para os destruir e exterminar. E, feito isso, puseram-se a matar-se uns aos outros. 
24Quando os homens de Judá chegaram à altura donde se vê o deserto, olharam para a multidão e não viram senão cadáveres estendidos por terra. Não tinha podido escapar ninguém. 


Do Segundo Livro das Crônicas                 20,1-9.13-24

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante