DAVI E ABIGAIL

Naqueles dias: 14Abigail, mulher de Nabal, foi informada por um dos seus servos, que lhe disse: “Davi mandou mensageiros, do deserto, para saudar nosso amo, mas ele recebeu-os mal. 15No entanto, esses homens trataram-nos sempre muito bem, e nunca fomos molestados por eles; nem nos causaram prejuízo algum, durante todo o tempo em que vivemos juntos no deserto. 16Pelo contrário, serviram-nos de muro de defesa, dia e noite, enquanto estivemos com eles apascentando os rebanhos. 17Vê, pois, o que tens a fazer, porque a ruína de nosso amo e de toda a sua casa é coisa decidida, tanto mais que ele é um malvado, com quem não se pode falar”. 18Então Abigail apressou-se a tomar duzentos pães, dois odres de vinho, cinco cordeiros preparados, cinco medidas de trigo torrado, cem tortas de uvas secas, duzentas de figos secos, colocando tudo sobre jumentos. 19E disse aos seus servos: “Ide na frente, e eu seguirei atrás de vós”. Mas não disse nada a seu marido. 20Ia ela montada num jumento, descendo por um caminho secreto da montanha, quando topou com Davi e seus homens, que vinham em sentido inverso; e foi ao encontro deles. 21Davi vinha dizendo: “Na verdade, foi em vão que eu guardei tudo o que esse homem possuía no deserto, sem que lhe fosse tirada coisa alguma, e ele me paga o bem com o mal! 22Deus trate com todo o seu rigor a Davi, se, de toda a gente de Nabal, eu deixar com vida até amanhã, um só que seja do sexo masculino!” 23Quando Abigail avistou Davi, desceu prontamente do seu jumento, fez a Davi uma profunda reverência e prostrou-se diante dele com o rosto em terra. 24Assim prostrada aos seus pés, disse-lhe: “Recaia sobre mim, meu senhor, esta culpa! Deixa falar a tua escrava e ouve as suas palavras. 28Perdoa a culpa da tua escrava. O Senhor dará à casa do meu senhor uma existência estável, porque tu, meu senhor, combates as guerras de Deus. Que não se encontre em ti culpa alguma em todos os dias da tua vida. 29Se alguém te perseguir ou conspirar contra a tua vida, a existência do meu senhor ficará guardada no cofre da vida, junto do Senhor, teu Deus, enquanto a vida de teus inimigos será lançada para longe, como a pedra de uma funda. 30E quando o Senhor tiver feito ao meu senhor todo o bem que lhe prometeu, e te houver estabelecido chefe sobre Israel, 31não terás, meu senhor, no coração este pesar nem este remorso de teres derramado sangue sem motivo e de teres feito justiça por tua própria mão. E quando o Senhor te tiver feito bem, meu senhor, lembra-te da tua escrava”. 32Davi respondeu a Abigail: “Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, que te mandou hoje ao meu encontro! Bendita seja a tua prudência, 33e bendita sejas tu mesma, que me impediste hoje de derramar sangue e de fazer vingança pela minha mão! 34Mas, pelo Senhor, Deus de Israel, que me impediu de te fazer o mal, se não tivesses vindo tão depressa ao meu encontro, de hoje para amanhã, dos que vivem na casa de Nabal, nem um só do sexo masculino teria ficado com vida”. 35Então Davi aceitou da sua mão tudo o que ela tinha trazido, dizendo-lhe: “Volta em paz para a tua casa. Fiz o que me pediste por consideração para contigo”. 36Abigail voltou para junto de Nabal. Ele estava justamente dando um banquete em casa, um verdadeiro festim de rei. Nabal tinha o coração alegre e estava completamente embriagado. Por isso ela nada lhe disse, nem pouco nem muito, até o dia seguinte. 37Mas, pela manhã, depois que Nabal tinha curtido o seu vinho, sua mulher contou-lhe tudo. Então o coração dele congelou-se no peito, ficando como petrificado. 38Dez dias depois, Nabal, ferido pelo Senhor, morreu. 39Quando Davi soube da notícia da morte de Nabal, exclamou: “Bendito seja o Senhor, que vingou o ultraje que Nabal me fez, e que me impediu de fazer-lhe mal! O Senhor fez cair sobre sua cabeça a sua própria maldade!” Então Davi enviou mensageiros a Abigail com a proposta de ela se tornar sua mulher.

Do Primeiro Livro de Samuel 25,14-24.28-39

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante