EM CAMINHO


MORRER E RESSUSCITAR

«Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito!»



Este Teu brado,
Senhor,
este Teu forte clamor,
é um murmúrio,
um terno e simples murmúrio,
de infinito amor!

Deste tudo,
tudo entregaste,
por mim,
por todos,
e entregas agora o Teu espírito,
na Cruz,
com que nos resgatastes.

Sobe-me sempre do coração,
à boca,
aos olhos,
a todo o meu ser,
uma lágrima dolorosa,
ao ouvir o Teu clamor,
ao sentir o Teu sofrer,
que agora se transforma em paz,
porque sendo um grito de amor,
liberta todo o meu ser.

Prostro-me pelo chão,
embebido do Teu Sangue,
choro lágrimas de arrependimento,
abro-Te o coração,
e deixo que me toques,
apenas num breve momento,
um tempo tão simples e terno,
que sinto que esse momento,
se torna em mim eterno,
porque Te fazes presente.

Já não me interessa o meu querer,
nem lágrimas quero chorar,
volto os olhos para Ti,
e digo-te em ingente súplica:
Senhor,
deixa-me em Ti morrer,
para em Ti ressuscitar!


Frei Francisco Bezerra do Nascimento, OFMConv.

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante