Herança divina e liberdade da nova Aliança

Irmãos: 8Outrora, quando não conhecíeis a Deus, servistes a falsos deuses. 9Agora, porém, que já conheceis a Deus, ou, melhor, que já sois conhecidos por Deus, como podeis voltar a elementos fracos e pobres e, de novo, servir a eles? 10Observais dias, meses, estações, anos! 11Fazeis-me recear que me tenha afadigado inutilmente por vós!
12Irmãos, eu vos suplico: sede como eu, pois eu também me tornei como vós. Vós não me ofendestes em coisa alguma. 13Sabeis muito bem que foi uma doença que me deu ocasião de vos evangelizar, a primeira vez. 14E em razão dessa minha doença, que era para vós uma provação, não me desprezastes nem rejeitastes, mas, ao contrário, me recebestes como um anjo de Deus, como o próprio Jesus Cristo.
15Onde estão, pois, as felicitações que vos dirigíeis uns aos outros? Com efeito, eu mesmo posso testemunhar que se fosse possível, teríeis arrancado os próprios olhos para mos dar. 16Será que me tornei vosso inimigo, por vos dizer a verdade? 17Não é sincero o interesse de alguns por vós. Na verdade, o que estão querendo é separar-vos de mim, para que vos apegueis a eles. 18É coisa excelente gozar da vossa estima,baseada no bem e na constância, e não apenas quando estou presente entre vós. 19Meus filhos, por vós sinto de novo as dores do parto, até Cristo ser formado em vós. 20Gostaria de estar presente entre vós e, assim, de viva voz, poder modificar a minha linguagem, pois estou perplexo a vosso respeito.
21Dizei-me, vós que quereis sujeitar-vos à Lei: Não ouvis o que diz a Lei? 22Com efeito, está escrito que Abraão teve dois filhos, um da escrava e outro da livre. 23Mas o filho da escrava nasceu segundo a carne, e o filho da livre nasceu em virtude da promessa. 24Eses fatos têm um sentido alegórico, pois essas mulheres representam as duas alianças: a primeira, Hagar, vem do monte Sinai; ela gera filhos para a escravidão. 25De fato, Hagar – ela lembra o monte Sinai que se encontra na Arábia – corresponde à atual Jerusalém, que é escrava com os seus filhos. 26Porém, a Jerusalém celeste é livre, e é a nossa mãe. 27Pois está escrito:
“Rejubila, estéril, que não dás à luz,
prorrompe em gritos de alegria,
tu que não sentes as dores do parto,
porque os filhos da mulher abandonada
são mais numerosos do que os da mulher preferida”.
28E vós, irmãos, como Isaac, sois filhos da promessa. 29Mas, como naquele tempo o filho segundo a carne perseguia o filho segundo o espírito, assim acontece também agora. 30Porém, o que diz a Escritura? “Expulsa a escrava e o seu filho, pois de modo algum o filho da escrava será herdeiro, junto com o filho da livre”. 31Portanto, irmãos, não somos filhos de uma escrava; somos filhos da mulher livre.

Da Carta de São Paulo aos Gálatas             4,8-31

You Might Also Like

0 comentários

Mapa De Visitante